Pavimentos na remodelação de interiores
21 de Setembro 2017 | Remodelação interior | Global

O pavimento de uma casa é tão importante…

Na remodelação de interiores, a escolha do pavimento deve obedecer a uma série de requisitos funcionais, de forma a garantir uma estrutura estável e segura o suficiente para suportar os seus futuros ocupantes, mobiliários e outros equipamentos.

A partir da reflexão do blog theconstructor.org, compilámos os requisitos e as exigências que as obras realizadas pela Britamontes procuram garantir nos seus projetos e obras de remodelação de interiores:

 

1. Força e estabilidade do pavimento

A força e a resistência de um pavimento depende das propriedades de materiais como madeira, cimento e aço, utilizados na construção da sua estrutura. A resistência desta estrutura deve ser adequada a suportar o peso de todos os acabamentos, peças de mobiliário, acessórios, divisórias, todos os serviços e o peso de todos os possíveis ocupantes.

Pavimentos de cimento armado, usados para garantir força, estabilidade e resistência ao fogo, são uma opção viável em casos em que as áreas sejam amplas e as cargas previstas sejam pesadas, enquanto o pavimento de madeira poderá ser mais adequado em edifícios domésticos.

No que diz respeito à estabilidade, a rigidez do pavimento deve ser suficiente para manter o chão estável e nivelado não só sob o seu próprio peso, mas também o das cargas prováveis que terá de suportar. Os pavimentos devem estar preparados para suportar e acomodar equipamentos de ventilação, água, eletricidade ou sistemas de aquecimento sem que isso prejudique a estabilidade do pavimento.

 

2. Impermeabilidade e adaptabilidade ao clima

Uma variedade de fatores favorece a penetração da humidade do solo no pavimento, tais como a natureza do subsolo, a presença de lençóis freáticos e até se o terreno é mais horizontal ou mais inclinado.

A probabilidade de penetração de humidades é baixa se a base do solo for gravilha ou areia grossa, pois o nível da água está bastante abaixo da superfície do pavimento. Neste caso, a utilização de lajes de cimento será uma solução fiável e evitará a penetração de humidade no pavimento

Contudo, se a base do solo for argilosa a quantidade humidade passível de ser absorvida é considerável, pois o nível da água está mais próximo da superfície do solo. As infiltrações podem ser evitadas, utilizando lajes de cimento e ainda uma membrana impermeável que deve ser colocada junto com o cimento.

 

3. Durabilidade e manutenção económica

Geralmente, pisos térreos impermeabilizados e de base sólida – e pavimentos de pisos superiores seguros por paredes e telhados – terão a durabilidade e o tempo de vida de toda a estrutura, requerendo pouca manutenção, reparações e melhorias.

A durabilidade e manutenção dos pavimentos dependerá da natureza e qualidade dos materiais utilizados e também dos fatores a que estarão expostos.

 

4.  Resistência ao fogo

O pavimento deve resistir ao fogo pelo menos o tempo suficiente para que o ocupante possa abandonar o edifício em caso de incêndio.

Pavimentos de cimento armado são capazes de combater o fogo por mais tempo comparados com pavimentos de madeira.

 

5. Resistência à passagem de calor

O pavimento deve estar preparado para suportar a libertação de calor em situações onde existam grandes diferenças de temperatura nos lados opostos do chão.

Um piso térreo pode ser construído de forma a prevenir transferências de calor do pavimento para o solo e do solo para o pavimento, aplicando uma massa sólida de cimento e uma membrana anti humidade que prevenirão a evaporação de calor e a sensação de frio.

Desta forma, estarão reunidas as condições necessárias para controlar as transferências de calor e assim garantir temperaturas confortáveis.

 

6. Resistência à passagem do som

Pavimentos de cimento armado funcionam melhor na prevenção da transmissão de som comparados com pavimentos de madeira, menos sólidos. Desta forma, pavimentos de cimento armado são os mais indicados para separar pisos em residências. Contudo, materiais isolantes mais ou menos sólidos podem ser utilizados para preencher espaços entre tábuas de madeira de forma a melhorar a resistência à passagem do som.

O impacto do som pode ser reduzido consideravelmente na aplicação de coberturas do pavimento como, por exemplo, alcatifas ou outros revestimentos resistentes, na superfície do pavimento. Esta camada mais densa diminuirá o som de passos em ambos os tipos de pavimento – madeira ou cimento.

A insonorização de um espaço não passa só pelo pavimento, mas também pelo reforço dos tetos, utilizando materiais que absorvam o som, controlando a amplificação do mesmo.